Avançar para o conteúdo principal

"O Que Eu Penso De" Significance (Significance #1)

A Capa:



















A Sinopse:
Maggie is a seventeen year old girl who's had a bad year. Her mom left, her dad is depressed, she's graduating, barely, and her boyfriend of almost three years dumped her for a college football scholarship. Lately she thinks life is all about hanging on by a thread and is gripping tight with everything she has.
Then she meets Caleb.
She saves his life and instantly knows there's something about him that's intriguing but she is supposed to be on her way to a date with his cousin. But things change when they touch, sparks ignite. Literally. They imprint with each other and she sees their future life together flash before her eyes. She learns that not only is she his soul mate, and can feel his heartbeat in her chest, but there is a whole other world of people with gifts and abilities that she never knew existed. She herself is experiencing supernatural changes unlike anything she's ever felt before and she needs the touch of his skin to survive. Now, not only has her dad come out of his depression to be a father again, and a pain as well, but Caleb's enemies know he's imprinted and are after Maggie to stop them both from gaining their abilities and take her from him. Can Caleb save her or will they be forced to live without each other after just finding one another?

A Opinião:
Twilight, Twilight e Twilight por todo o lado. Só espero que tenham pago direitos de autor à Stephanie Meyer. Imprinting? Ao menos davam-lhe outro nome!
Esta é a típica história da coitadinha que a mãe a abandonou e o pai se culpou e a ela por isso. No inicio pensei mesmo que havia uma falta de originalidade de uma ponta a outra
No capitulo II a personagem principal mostrou-se tão dependente de Caleb que fiquei de pé atrás. Achei péssimo e não me pareceu que a culpa fosse do imprinting. Apesar disso gostei da parte em que ela toca pela primeira vez em Caleb, mas mesmo assim parecia ser mais do mesmo.
Acho que neste tipo de obras, devia haver um aviso de fanfic, porque se eu quisesse ler Twilight outra vez ia lê-lo, visto que tenho os livros da Stephanie Meyer. Shelly Crane acaba por pegar nas várias peças do original e misturá-la, eliminando a vertente vampírica (apesar de a referir) e substituindo-a por esta versão dos lobisomens. Não são lobisomens, mas têm o imprinting com os poderes dos vampiros - resumindo assim de repente.
Aqui a questão é que esta mistura até acaba com o tempo por se entranhar e acabamos por gostar. As descrições são bem feitas e os diálogos estão bem geridos, o que mesmo em inglês, muito fácil de traduzir e seguir, o que acaba por nos levar a ler este livro como quem vê um filme.
No final a minha reacção foi: "então já havia continuação e não me diziam nada? Agora quando a situação já aquecia é que enfiam o irmão, que é muito bem-vindo, e o desengraçado do Kyle?"
Já percebi que eliminaram, por enquanto, os maus da fita da outra família e que agora arranjaram o substituto da família Jackson. Sinceramente nunca lhe achei piada, principalmente agora que ele anda todo ressentido com o destino e o primo.
O que eu gosto mais desta obra, é o facto da autora não ter transformado Caleb num tótó emocional, como a Stephanie Meyer fez com o Edward. Caleb é compreensivo, mas ao mesmo tempo não aceita nem pensamentos nem atitudes menos próprias sobre a sua namorada. Dizendo isto, este vai ter muito trabalho com o próprio primo, que não esconde nem uma coisa nem outra.
Em relação a Bish, foi muito mau da parte da autora não o ter deixado tocar em Jane, porque de certeza que iria sair dali um imprinting maravilhoso!
Em jeito de conclusão, esta obra é daquele tipo que nos enerva no inicio pelas muitas parecenças que tem com outros que já lemos. Reviramos umas quantas vezes os olhos, mas quando a autora começa a desenvolver alguns pontos, a criá-los à sua maneira e a desenvolvê-los de forma a nos agarrar e ainda juntando a sua escrita fluída e o seu jeito para os diálogos, acaba por criar algo que compensa ler mesmo quando nos dá tantos déjà vus.
O próximo, por esta altura já vai a meio, e os restantes já estão na biblioteca do Kobo, o que só mostra o quanto eu gostei.

A Classificação:
4*

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Leituras de" Março

Ao contrário de Janeiro, Março começou mal com a leitura, ou desistência dela, de um livro sobre Ninfas.

Mas depois foi melhorando aos poucos. O que melhorou também foi o número de leituras, já que li mais que Janeiro e Fevereiro juntos. Mas tudo graças a Abbi Glines e a Colleen Hoover. Foi um mês de leituras fiéis a escritoras, onde me dediquei a elas.

Abbi Glines continua a fazer as minhas delícias mas ainda estou com esperanças de ler um de Colleen Hoover que me faça dar-lhe 5* e me conquiste a 100%.

As opiniões estão quase em dia, mas estou a deixar algumas para trás. Espero não me arrepender.


"Aquisições" Agosto

Este post andava perdido por aqui

"Leituras de" Janeiro e Fevereiro

Começou 2017 e ainda não tinha ressuscitado algumas rubricas mais básicas. Tendo agora um tempito vou então começar com o que li nos dois primeiros e últimos meses deste ano.
Em Janeiro tive o prazer de ler Winter de Marissa Meyer.  Foi uma óptima escolha para começar o ano, mas foi filho único no que toca a leituras no primeiro mês do ano.


Em Fevereiro o número de leituras foi muito maior. Apostei mais em livros pequenos, mas também investi neles e num maiorzito. Aproveitei também para reler um para poder continuar a saga de Emma Chase.


Com este resumo acabei por ir ver os desafios e não é que alguns correspondem?!